Rio de Janeiro com o Espírito Carioca

Foi um Carnaval que passou

Quanto riso/Oh, quanta alegria: mais de 6 milhões de foliões nas ruas do Rio

20 Fev 2013 às 06:40

Não é à tôa que folia rima com alegria. Multidões atrás dos blocos, colombinas e pierrôs pelas ruas, Saara lotada com as lojas abarrotadas de acessórios carnavalescos, muitas inclusive, com os estoques pedindo arrego. Para todos os lados da cidade, fosse na praia, pelas ruas ou até nos restaurantes, era possível ver os respingos momescos, que vinham encarnados em banhistas com restos de fantasia indo dar um mergulho depois do bloco ou nos foliões famintos que davam aquela paradinha estratégica em lugares como o Baixo Gávea ou casas como o BigBi e Bibi Sucos, que salvam os corpos já fracos de tanta energia deixada ao som das marchinhas. 

Por aqui, a galera do Posto Zero (nem todos, pois há os que preferiram se refugiar da festa) foi dar um rolé carnavalesco e viu muita coisa bacana rolando pela cidade! E daí que a conclusão foi de que o carioca pode sim se orgulhar da cidade em que vive. Sabe por que? Entre tantas outras coisas, porque foram mais ou menos 1 milhão e 200 mil visitantes no total, 84% dos estrangeiros que provaram, aprovaram e repetiriam a dose de viver o Carnaval carioca e mais de 6 milhões de foliões provaram com alegria e purpurina que atrás do trio elétrico só não vai quem já morreu. E quem disse isso foi uma pesquisa da Fundação Cesgranrio, não foi a gente não! Claro que nem tudo são flores, a gente sabe que tem muito ainda para melhorar, como o sistema de transportes, a coleta de lixo e a quantidade de banheiros públicos que ficaram devendo. Mas, para celebrar o saldo positivo, a gente resolveu listar aqui as cinco coisas mais bacanas do Carnaval do Rio deste ano! 

 

Melhor bloco: Boa Noite Cinderela Carnaval de rua, blocos, Rio de Janeiro, Boa Noite Cinderela

Todo ano ele muda de lugar, de nome e de tema. Quem organiza é uma galera super bacana que não vive de Carnaval e daí, para evitar problemas burocráticos, resolve tudo meio em cima da hora e a propaganda vai no boca-a-boca. Com ares de grupo de amigos, o Boa Noite Cinderela foi uma grata surpresa e sucesso total na madrugada de segunda para terça, levando a galera da Praça XV até o lindo e super acústico Edifício Capanema, para um grande baile. Dali seguiu para o MAM (sim, atravessou o Aterro!) e acabou ao raiar da manhã, num nascer do sol digno de palmas. Além das marchinhas antigas, ver todo mundo fantasiado, feliz da vida, cantando a versão carnavalesca de "Dancing Queen" do ABBA foi incrível! Por isso tudo, ele leva o título este ano. Dez, nota dez.       (Foto: Bianca Watson Serpa)

 

 

Melhor bloco infantil: Cordão Umbilical 

Pode parecer piegas, mas bloco de Carnaval infantil dando lição de fraternidade e civilidade para os pequenos, é sem dúvida, merecedor de um lugar de destaque. O Cordão Umbilical, além de colorido e recheado de mini-fadas e mini-piratas, teve a sacada humana de baixar o tom dos instrumentos e fazer a galera cantar baixinho enquanto passava em frente ao Hospital Aloysio de Castro, ali na rua David Campista, no Humaitá. Aí o bloco passou distribuindo sorrisos e trocando acenos com quem estava por lá internado, precisando de maiores cuidados. Bonito de ver esee Carnaval do bem. 

Melhor momento na Sapucaí: Bateria 

Escola de Samba para fazer bonito tem que ter aquela bateria que ecoa no peito, não é à tôa que é chamada de coração da Escola. Mesmo em oitavo lugar no geral e sem entrar para o desfileCarnaval, Sapucaí, bateria  das Campeãs no Sambódromo, a Mangueira veio com uma bateria dupla que levantou a poeira das arquibancadas e camarotes da Avenida. Uma bateria verde, outra rosa, se revezando no baticum, foi barato total. Outra que ficou lá embaixo no geral, com enredo fraquinho e coisa e tal, mas que teve uma das 'paradinhas' mais ousadas da Sapucaí foi a Mocidade. Com 280 ritmistas de moicanos verdes neon, comandados por Andrezinho (ex-Molejo), a bateria mudou de lado, botou os instrumentos no chão e parou total durante alguns versos do samba, voltando depois com força total, empolgando geral.  (Foto: Antonio Scorza/AFP)

Melhor fantasia: Coletiva

Melhor do que ver a galera aderir cada vez às fantasias, lotando a Saara em busca de acessórios e trocando inspirações carnavalescas, é ver a quatidade de fantasias coletivas, que este ano arrebentaram! Eram grupos de 5, 10 e até 20 pessoas com o mesmo visual, numa produção animada e muito original! Eram ciganas, Galinha Pintadinha, tribo indígena e até o Bataclã, casa dos prazeres tirada da minissérie 'Gabriela'. A criatividade carnavalesca não tem limite e a gente agradece, assima festa fica mais divertida! 

Melhor registro do Carnaval: Ramon Moreira

A máxima 'uma imagem vale mais que mil palavras' ganha seu lugar aqui. O fotógrafo carioca Ramon Moreira já conhece a folia de outros Carnavais e com o olhar certeiro de fotógrafo-folião, clicou este ano quase 800 flagras da festa de rua no Rio de Janeiro. A cada foto dá para sentir o suor no rosto, o ritmo da bateria e o canto das marchinhas em uníssono. Além do álbum que só falta jogar confete em que vê, o moço fez o vídeo "Não me Leve a Mal, hoje é Carnaval!" que em poucas horas no ar, bombou de visualizações. Ao som de 'Máscara Negra' de Zé Keti, o vídeo dá uma pontinha de saudade e tira o ar de tão bonito. Não conhece o Carnaval do Rio? Procure saber. E procure o Ramon. 

 

Carnaval de rua, blocos, Rio de Janeiro, Ramon MoreiraCarnaval de rua, blocos, Ramon Moreira, Rio de Janeiro