Rio de Janeiro com o Espírito Carioca

O Rio por uma curitibana

Apaixonada pela cidade e com planos de fixar residência por aqui um dia, a publicitária Carol Moreno faz sua wish list do Rio

post por Carolina Moreno - 29 Mai 2013 às 05:20

Escrever sobre o Rio é fácil, a cidade é a coisa mais linda do mundo! Mas ao mesmo tempo, escrever sobre o Rio em um site que traz várias dicas super legais, escritas pelos próprios cariocas, é um desafio e tanto! E foi assim que resolvi falar um pouco sobre as experiências que tive por lá, nas vezes em que visitei. Pra quem é de fora (e acho que especialmente pra quem é de Curitiba, uma cidade bem fria – e com muita gente também fria e reservada!), o choque acontece já ao chegar. As pessoas conversam com as outras nas ruas, no ônibus, cumprimentam estranhos – se você é do Rio, deve achar isso a coisa mais normal do mundo. Se você é de Curitiba, sabe bem do que estou falando! 

A receptividade dos cariocas é impressionante – super simpáticos, fazem questão de trocar ideia contigo! Também não deixam um desaforo de lado, botam a boca no trombone sempre que preciso (e às vezes até quando não precisa... rs). Outra coisa que me chamou a atenção foi o jeitinho que os cariocas dão nas coisas – tem vários ônibus que param fora do ponto se você pedir; tem muitas filas que são uma bagunça, entra antes quem é mais esperto e por aí vai. O sotaque, então, é um show à parte. É difícil você não começar a falar também arrastando os R's e S's, só pra se sentir mais em casa! Sem sotaque, não tem 'marra'!

Falando um pouco sobre os lugares que mais curti, tem vários bem legais fora do eixo turístico – conheci, claro, o Cristo, o Pão de Açúcar, Copacabana, Ipanema etc, mas o Rio é muito mais que isso!

Adoro um sambinha, e amei curtir um samba bem carioca. Um dos lugares que mais gostei foi a Pedra do Sal, onde rola um samba de primeira, na rua mesmo, às segundas. Ali do ladinho fica o Largo São Francisco da Prainha, onde tem vários botecos bem baratos pra fazer um bom esquenta. Depois, é só cair no samba! Muito bom, mesmo! Outro samba massa é o da Casa Rosa, em Laranjeiras – o bar é super espaçoso, com área aberta e ambientes variados. Por lá o carro chefe aos domingos é o bom e velho samba. Nos outros ambientes rola forró, música pop e até funk, dependendo do dia. Outra opção pra quem curte um botequinho é o Bip Bip – um bar bem pequenininho, onde a galera fica espalhada pela rua mesmo, e até se serve sozinho quando quer uma breja. Às vezes rola uma roda de choro, outras é samba, mas sempre é bão dimais! Só pra deixar claro: em Curitiba também tem samba (e do bom!), mas sem dúvida tem muito menos opções do que no Rio.

Falando do dia, não dá pra deixar de falar das praias, né! Copacabana, Ipanema e Leblon são lindas, mas sempre beeem cheias. Outra coisa que adorei foi o Mate de galão! São dois barris gigantes pendurados nos ombros do vendedor, um com chá e outro com suco de limão, e te serve um chá com limão geladinho e delicioso! Além da praia, você pode fazer um rolê bem legal pelo centro do Rio. Se você curte história e cultura, não deixe de conhecer o Cinema Odeon, o Theatro Municipal, o Museu de Belas Artes e também o Centro Cultural Banco do Brasil – dá pra caminhar tranquilo de um lugar até o outro.

O Rio é tão grande, e tem tanta coisa linda, que um post só é pouco pra falar! Mas sem dúvida nenhuma, é uma cidade que me conquistou e onde espero poder morar em breve! Será que eu ainda viro carioca? =)

***Carol Moreno é publicitária, blogueira e apaixonada por viagens de mochilão. Adora pedalar, fazer trilhas, música, cinema, eventos culturais e conhecer pessoas diferentes. Autora do blog Mochilão Trips, onde dá dicas sobre como viajar gastando pouco pelo mundo afora.