Rio de Janeiro com o Espírito Carioca

Vacina 1904 x Vinagre 2013

Manifestações Cariocas Ontem e Hoje

post por Marcelo Gluz - 27 Jun 2013 às 05:49

Rio de Janeiro, 10 de novembro de 1904. O presidente Rodrigues Alves e o prefeito Pereira Passos aceleravam as reformas que visavam fazer do Rio a “capital do progresso”, um símbolo do novo e punjante Brasil. Mas o omelete republicano não evitou de quebrar alguns ovos. A cidade era um grande canteiro de obras, com sujeira e doenças se proliferando a ponto dos navios estrangeiros se recusarem a parar no porto carioca. A abertura da Avenida Rio Branco (então Avenida Central) expulsou a população pobre para periferias e as medidas reprimiam os indícios de insatisfação dos cidadãos.

A gota d’água caiu quando Rodrigues Alves instituiu a vacina obrigatória contra a varíola. A população foi às ruas protestar contra a injeção compulsória, que trazia agentes de saúde à casa das pessoas. Multidões se aglomeraram, barricadas foram erguidas, bondes foram quebrados e houve forte repressão da polícia. Na teoria foi tudo em nome da liberdade de cada um escolher se quer ou não oferecer suas partes íntimas às agulhas do governo. Mas na prática o povo já não aguentava mais a humilhação da política do ‘bota-abaixo’ que enxotava quem estivesse na linha de ação das reformas. A Gazeta da Notícia explicou assim: “Tiros, gritaria, engarrafamento de trânsito, comércio fechado, transporte público assaltado e queimado, lampiões quebrados às pedradas, destruição de fachadas dos edifícios públicos e privados, árvores derrubadas: o povo do Rio de Janeiro se revolta contra o projeto de vacinação obrigatório proposto pelo sanitarista Oswaldo Cruz". Logo alguém batizou o movimento de Revolta da Vacina.

Manifestações no Rio de Janeiro: Revolta das vacinas em 1904, Revolta do vinagre 2013
109 anos depois e os cariocas estão nas ruas mais uma vez. Entre 1904 e 2013 o povo protestou em vários momentos cruciais da história da cidade, como a Revolta da Chibata (1910), o Levante do Forte (1922), a Passeata dos 100 mil (1968), o Grande Comício das Diretas Já (1984) e o Movimento dos Caras-Pitadas (1992). Mas essa Revolta do Vinagre de julho de 2013 lembra mesmo aquela manifestação do início do século. Alguns pontos em comum:

 O estopim que não explica a dimensão dos protestos: vacina compulsória em 1904  X  R$0,20 em 2013.

  •  O momento teoricamente positivo de reconstrução da cidade: reformas urbanas em 1904  X  preparação para mega-eventos em 2013.

  •  Violência nos embates: pedras, paus e pedaços de ferro contra a polícia em 1904  X  gás lacrimogênio e balas de borracha contra os manifestantes em 2013.

  •  Lideranças com agendas específicas e povo com propósitos mais amplos: Liga contra a Vacina Obrigatória em 1904  X  Movimento Passe-Livre em 2013.

  •  O recuo pontual do governo: suspensão da obrigatoriedade da vacina em 1904  X  manutenção do preço da passagem em 2013.

bonde virado em 1904, carro incendiado em 2013


Em 1904, foi decretado estado de sítio, o governo voltou atrás e a rebelião foi finalmente contida, deixando 30 mortos e 110 feridos. Difícil definir ao certo o legado da revolta para a cidade. Certo é que aquele período desenhou a face do Rio de Janeiro no século XX. Só o tempo dirá qual será importância desse momento para as próximas décadas. Mais do que a anulação de PECs, o julgamento de corruptos e a promessa de verbas para a educação, fica a certeza que o gigante adormecido tem voz grossa e usa as redes sociais como alto-falante. 

charges sobre as manifestacoes 1904 e 2013



GOSTOU? LEIA MAIS CARIOQUICES

Gentileza tem limite: um jeito carioca de se manifestar
O nosso Rio é ensolarado, florido, deslumbrante e sedutor. Nossos cariocas são alegres, bem humorados, radiantes e (como diria Sergio Buarque de Hollanda)... leia mais

 

4 ideias para um Rio mais sustentável: Repensando o Rio no dia do meio-ambiente
O economista Jeffrey Sachs, diretor do 'The Earth Institute' da Universidade de Columbia, juntou-se a um time de especialistas dos quatro...leia mais